5 Óleos Essencias para Ansiedade
A melhor via para utilização do óleo essencial é a inalação, pois dessa forma as moléculas do óleo conseguem chegar rapidamente até ao cérebro, causando alterações rápidas nas emoções. É aconselhado respirar o óleo essencial diretamente do frasco.

Assim, deve-se abrir a tampa, encostar o frasco perto do nariz e inspirar profundamente, depois manter o ar dentro dos pulmões por 2 a 3 segundos e depois liberar novamente o ar. Inicialmente, deve-se fazer 3 inalações seguidas várias vezes ao dia, mas ao longo do tempo deve-se ir aumentando para 5 ou 7 inalações.

O ideal é utilizar óleos essenciais biológicos, pois têm menos risco de conter toxinas ou outros tipos de contaminantes.
5 óleos essenciais para ansiedade:
Alfazema ou Lavanda

O óleo essencial de alfazema ou lavanda,  é capaz de reduzir os níveis de cortisol, um hormônio responsável pela sensação de estresse.

Além disso, tem ação protetora do sistema cardiovascular e ajuda a restaurar a paz interior, diminuindo a irritabilidade, ataques de pânico e a inquietação.
Bergamota
A bergamota faz parte da família do cítricos e, por isso, possui um aroma revitalizante que reduz a pressão arterial e a frequência cardíaca, balanceando a atividade nervosa e diminuindo o estresse. A bergamota demonstrou ser capaz de diminuir os níveis de glicocorticoides no organismo, hormônios que são responsáveis pelo aumento da ansiedade e do estresse.
Nardo
O óleo essencial de Nardo, tem excelentes propriedades relaxantes, ansiolíticas e antidepressivas que permitem aliviar casos de ansiedade e variações emocionais. É um tipo de óleo que ajuda a libertar as causas mais profundas de ansiedade e que cria uma sensação de paz interior.
Ilangue-ilangue
O Ilangue-ilangue é uma planta que possui um aroma revitalizante que, além de acalmar e melhorar a disposição, estimula sentimentos de coragem e otimismo. Este óleo essencial, quando utilizado frequentemente reduz a ação do cortisol no corpo.
Patchouli
O patchouli é ideal para pessoas que sofrem com excesso de trabalho e ansiedade crônica, pois tem ação calmante, ansiolítica e antidepressiva.

 

 

Ansiedade X Síndrome do Pânico

A diferença entre ansiedade e síndrome do pânico está na intensidade dos sintomas e na imprevisibilidade de sua ocorrência. A ansiedade tem causas mais lógicas e concretas, como um desafio a ser enfrentado ou uma situação delicada que está para ocorrer, a crise de pânico não tem hora nem motivo para começar.

A boa notícia é que a síndrome do pânico tem tratamento. Ele inclui uma combinação de terapia com medicamentos. Como nem sempre é fácil identificar a diferença entre ansiedade e síndrome do pânico ou qualquer outro transtorno de ansiedade, é importante procurar a ajuda de um médico, ele poderá avaliar o caso e indicar o melhor tratamento.
 

Outros transtornos de ansiedade além de síndrome do pânico:

- Estresse pós-traumático – eventos traumáticos como um grande assalto, por exemplo, podem causar sintomas de estresse que se estendem por dias, meses e até anos. Entre os mais comuns estão a reexperiência traumática e a hiperexcitação ou hipoexcitação psíquica.
 

- Fobia social – é uma ansiedade intensa e persistente diante de situações de desempenho em público ou de interação social. São pessoas que tremem, suam e ruborizam diante de qualquer exposição pública e que sofrem por antecedência quando sabem que terão que interagir com outras em um evento.
 

- TAG (Transtorno de ansiedade generalizada) – ansiedade persistente e excessiva com atividades ou eventos, mesmo os mais comuns, de rotina. A preocupação é desproporcional à circunstância real, é difícil de controlar e afeta a maneira como você se sente fisicamente.
 

- TOC (Transtorno obsessivo-compulsivo) – o paciente tem obsessões e compulsões repetidas. As compulsões são atos repetitivos que tentam aliviar a ansiedade causada pelas obsessões e podem se manifestar, por exemplo, como uma mania de lavar as mãos repetidamente ou de checar se as portas estão fechadas exaustivamente.
 

- Agorafobia – transtorno de ansiedade em que a pessoa teme e muitas vezes evita lugares ou situações que podem fazer com que ela entre em pânico.

 

 

Síndrome do Pânico TEM cura

A cura da síndrome do pânico está na descoberta e na resignificação de suas causas. Na maioria dos casos, os medicamentos são necessários para agir no sistema nervoso central, equilibrando os neurotransmissores e diminuindo a ansiedade.

Porém, o uso de medicamentos vai apenas aliviar os sintomas, sem tratar o real motivo que desencadeou a doença. Quando não olhamos para as questões psicológicas e emocionais, por mais camufladas que estejam, elas permanecem vivas dentro de nós, podendo se manifestar a qualquer momento.

Existem vários tratamentos, ferramentas e caminhos para a cura.

Tratamentos psicoterapêuticos, como a Terapia Cognitivo Comportamental, são muito eficazes, ajudam o paciente a entender os ataques de forma racional e lidar com eles no momento em que acontecem.

Tratamentos com Técnicas de Inteligência Emocional, que buscam na história de vida das pessoas os motivos e gatilhos que desencadearam a doença, têm se destacado como ferramentas para a cura. De acordo com o histórico emocional e os conteúdos inconscientes do paciente, é possível atribuir novos significados a acontecimentos ou interpretações que trazem as crenças de desamparo e desproteção, ensinando o paciente a diferenciar o que realmente é uma situação de risco e o que é apenas um padrão que foi criado ao longo dos anos.

É importante trabalhar questões da personalidade — como excesso de responsabilidade, autocobrança, autocrítica e perfeccionismo. Isso porque pessoas com essas características normalmente apresentam dificuldade para lidar com situações inesperadas, o que pode trazer um alto nível de estresse e ansiedade, desencadeando a crise.

Não desista de VOCÊ!

 

VOCÊ é a sua CURA

A cura está dentro de você. No auto conhecimento.
Um combo com remédios, terapias, exercícios físicos, alimentação saudável, meditação, religião.

Cerque-se de pessoas positivas, assista filmes, leia livros e ouça músicas positivas e de alto astral. Permaneça em contato com a energia da natureza, praia, sol, mar, cachoeira, mato, sol, lua!!

Descubra os gatilhos que desencadeiam as suas crises. Esse caminho é lento, mas com foco e determinação é libertador. Tenha sua vida de volta. Transforme o veneno em remédio!

15 Dicas para controlar a ansiedade

1. Pratique atividades físicas
A forma mais comum de controlar a ansiedade é a prática de exercícios. Praticar atividades físicas ajuda a lidar com estados de ansiedade porque eleva a produção de serotonina, substância que aumenta a sensação de prazer.

Caminhar 3x por semana, por meia hora, já pode ajudar a lidar com a ansiedade. O momento da caminhada, além de ser um exercício para o corpo, também pode ser aproveitado para trabalhar a mente, sob a forma da meditação ativa. Quando você anda, pensa. A caminhada de meia hora é um movimento repetitivo e você acaba pensando nos pontos geradores de ansiedade que precisa trabalhar.

2. Reduza seu estresse diário
Para as que ficam estressadas com mais facilidade recomendo sessões de acupuntura regulares, além de meditação. Muitos pacientes com ansiedade se beneficiam também de tratamentos alternativos como a homeopatia e o uso de florais de Bach.

A ioga oferece ao praticante a possibilidade de aprender a controlar sua mente e seu corpo. Este controle, que é obtido através de uma combinação de técnicas respiratórias, corporais e de meditação. Tem como resultados o aumento da flexibilidade, fortalecimento dos músculos, aumento de vitalidade e maior controle sobre o estresse. Além da ioga, outra alternativa são as massagens. Se tiverem uma abordagem mais oriental, buscando o equilíbrio emocional, melhor.

3. Controlar a respiração
Para reduzir as reações do sistema nervoso autônomo, devemos fazer o controle da respiração. Isto pode ser feito compassando a respiração e inspirando lentamente pelo nariz, com a boca fechada. Ao inspirar deixar o abdome expandir-se, ou seja, estufar a barriga e não o peito. Depois, expirar lentamente, expelindo o ar pela boca. Isto pode ser feito em qualquer lugar, a qualquer hora. Além disso, quando você estiver em um ambiente silencioso e com possibilidade de ficar deitado, use uma técnica de relaxamento. O relaxamento combinado com a respiração diafragmática, certamente, reduzirá a respiração ofegante, a taquicardia e o tremor.

4. Evite pensamentos negativos
Em situações de ansiedade que se estendem por longos períodos, recomenda-se que a pessoa evite os pensamentos negativos ou catastróficos. Deve-se tentar dimensionar a gravidade da situação, questionando a si mesmo se existe uma forma alternativa de análise, se estamos superestimando o grau de responsabilidade que temos nos fatos ou se estamos subestimando o grau de controle que podemos ter.

Uma vez avaliada a situação, devemos substituir os pensamentos sobre o evento temido, principalmente os negativos. Sempre que um pensamento negativo se iniciar, devesse substituí-lo por outro pensamento qualquer, preferencialmente, agradável. Isto certamente não é fácil de ser feito, mas é possível e trata-se de um aspecto importante, pois os pensamentos e as falas negativas agravam a situação, intensificando as respostas autonômicas, como o mal-estar e o descontrole respiratório.

5. Invista em alimentos com triptofano
Para controlar a ansiedade, podemos ingerir alimentos que sejam fonte de triptofano, um aminoácido precursor da serotonina, como a banana e o chocolate. Outra possibilidade é ingerir o triptofano em cápsulas, junto com vitamina B6 e magnésio.

Outros aminoácidos que podem ajudar são a taurina e a glutamina. Eles aumentam a disponibilidade de um neurotransmissor chamado GABA, que o organismo usa para controlar fisiologicamente a ansiedade. Eles também podem ser ingeridos em cápsulas, mas apenas com a orientação de um médico especialista.
 

6. Tome um chá
A maioria dos chás possui substâncias que funcionam como sedativos suaves e podem ajudar no controle da ansiedade diária. As plantas mais conhecidas com essa ação são a passiflora, a melissa a camomila e a valeriana.

7. Mantenha foco de atenção no presente
Quando sua mente está dedicada integralmente ao momento atual você tem total capacidade de análise, julgamento e ação, portanto esta é uma boa forma de controlar a ansiedade. Quando a mente passeia aleatoriamente entre passado e futuro sem direcionamento para um planejamento você pode se perde nas ideias e a ansiedade pode iniciar ou piorar.

8. Seja organizado
Quem vive na bagunça gasta tempo para achar o que precisa, acumula coisas sem utilidade, dificultando o bem-estar e acaba por criar sentimentos de ansiedade. Trabalhar, estudar e viver em ambiente minimamente organizado ajuda no equilíbrio emocional e controle da ansiedade. Além disso, pessoas com uma organização maior do seu tempo conseguem aproveitá-lo melhor, o que reduz muitos fatores causadores de ansiedade.

9. Esteja com quem você ama
Conviver com pessoas queridas da família, amigos e conhecimentos que se tenha afinidade faz toda diferença na qualidade de vida. A companhia de quem amamos é especial para nosso emocional. Quem está bem vive mais relaxado e menos ansioso.

10. Dedique tempo para se cuidar
Reservar algum tempo do dia para você e ser capaz de ouvir suas reais necessidades pode contribuir diretamente para o controle da ansiedade. Saber olhar para si, atender e contribuir para sua meta de vida é uma ação de grande poder para sua vida. Seja capaz de dedicar um pouco de tempo e energia a você mesmo.

11. Cuide dos pensamentos para sorrir mais
Atenção ao que você pensa, pois isso terá impacto direto no seu humor. Avalie suas ideias. Ponha um ponto final em filmes mentais de assuntos negativos sem resolução. Seja capaz de se planejar, programar e ser forte, sem precisar montar um cenário terrível em sua mente. Com pensamentos mais leves, você perceberá o mundo de outra forma e isso lhe ajudará a sorrir mais. O sorriso faz bem para a cura emocional, relaxa e diminui a ansiedade.

12. Confie mais em si mesmo
Você é (ou deveria ser), sem dúvida alguma, a sua melhora companhia. Não há ninguém que estará ao lado mais tempo que você mesmo, por isso, invista nessa bela parceria com você mesmo. Seja fiel a você. Confie mais e isso lhe dará forças para lidar com a ansiedade do dia a dia.

13. Desenvolva congruência
Quem pensa de um jeito, age de outro e diz ainda outra coisa terá, com toda certeza, ansiedade. Buscar equilíbrio entre o que se quer e o que faz pode contribuir para a harmonia do seu dia. O que está por trás das suas ações? Quais suas reais intenções ao agir? Você atende as suas reais necessidades? Pense com carinho nestas perguntas e tende observar quais atitudes podem ajudá-lo.

14. Fortaleça o autoconhecimento
Quem se conhece bem, sabe respeitar seus limites, consegue dizer não e é capaz de se proteger tem menos ansiedade que outras pessoas que estão ainda aprendendo a se conhecer. Quem tem total aceitação de si mesmo pode pensar, dizer e agir sem culpa com total alinhamento das suas necessidades.

15. Cuide bem do seu momento antes de dormir
Evite ações que levam a agitação, preocupação e desgaste. Nem sempre podemos prever o que pode acontecer pouco antes de dormir, mas aquilo que depende de nós devemos fazer bem feito. Procure conversar assuntos mais sérios fora do horário de ir para cama. Ponha um freio mental em pensamentos de tomada de decisão em momentos de relaxamento. Mudar a vida dentro da cabeça na hora de ir dormir só gera ansiedade e perda de sono.